Baratas domésticas são aquelas que vivem dentro de residências (domicílios ou outras estruturas construídas pelo homem), no peridomicílio (ao redor dessas estruturas) e seus anexos, tais como caixa de gordura, esgoto, bueiros e outros locais úmidos e escuros.  A presença de baratas em nossos lares causa, sem dúvida, mais distúrbios para seus moradores (aflição, angústia, "stress") do que qualquer outro inseto próximo ao homem.

As baratas são consideradas disseminadoras mecânicas de patógenos diversos tais

como esporos de fungos, bactérias, vírus, etc., nas pernas e corpo, adquiridas quando

percorrem esgotos e lixeiras ou outros lugares contaminados.

As antenas desempenham um papel fundamental na sobrevivência da barata

servindo não apenas como elemento de direção, mas também para captar vibrações no ar ou

ainda cheirar alimentos ou feromônios.

O aparelho bucal é mastigador, possibilitando roerem papéis, roupas sujas de

alimentos (cola, doces, etc.), pêlos, pintura, mel, pão, carne, batatas, gorduras, livros. Algumas

se alimentam de madeira (celulose), sendo tal alimento digerido por microrganismos como

sucede entre os cupins.